"A cicatriz da serra: reflexões sobre as adutoras da Usina de Cubatão" - Gabriel Carlos de Souza Santos

Tipo de Produção: 
Produção Acadêmica: 
Publicado na revista Labor & Engenho, v.9, n.1, 2015. Por Gabriel Carlos de Souza Santos. Resumo: A Usina de Cubatão foi inaugurada em 1926 e era, à época, a maior hidroelétrica do país. Representou um enorme empreendimento industrial, o qual requeria o intenso uso de mão-de-obra. A partir de 1930, essa mão-de-obra passou a habitar a Vila Light, vila operária criada no entorno da usina para abrigar funcionários e suas famílias. O presente artigo pretende discutir um elemento em específico dessa usina, a saber, suas adutoras. O objetivo central é discutir o estabelecimento destas na paisagem cubatense e seu papel na alteração da visualidade e na criação de uma identidade comunitária da Vila Light. Assim, como se pretende demonstrar, as adutoras se inserem como marco simbólico, visual e material do enfrentamento do homem à Serra do Mar, elemento natural de grande importância para a constituição de Cubatão, e representam a complexa relação entre indústria e natureza no município. Palavras-chave: Agenciamento, identidade, intenções.