"Paisagem: realização da essência humana. O caso das Pequenas Centrais Hidrelétricas do Estado de São Paulo do período entre 1890 a 1960" - Eduardo Silva Bueno

Tipo de Produção: 
Produção Acadêmica: 
Artigo publicado na revista Labor & Engenho, v. 9, n. 1, p.49-62, jan./mar. 2015. Por Eduardo Silva Bueno. Resumo: Este estudo tem o objetivo de esclarecer o conceito de paisagem e posteriormente aplicá-lo à interpretação das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) do Estado de São Paulo do período entre 1890 a 1960 abordadas pelo Projeto Eletromemória ll. Foi desenvolvido um pensamento que culmina na definição do conceito de paisagem. Este se apresenta como o captar da harmonia entre os objetos articulados por unidades espaciais. Entendeu-se que a as unidades espaciais modificam a paisagem na medida em que permitem ao homem captar a harmonia e atuar para o melhoramento de sua manifestação de forma consciente, aumentando paulatinamente sua capacidade de fazer paisagem. As PCHs foram entendidas como unidades espaciais enquanto sua infraestrutura (barragens, represas, canal de adução, conduto forçado, casa de máquinas, etc.) foi entendida como os objetos que articula. Da relação entre as PCHs como articuladora dos objetos componentes de sua infraestrutura se pôde desenvolver método, técnica, prognóstico e teste que permitem realizar um estudo sob a perspectiva de como as PCHs do Projeto Eletromemória ll mudam a paisagem nelas realizada. Palavras-chave: Paisagem, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), Fenomenologia de Goethe, Antroposofia, Huberto Rohden.